Menu Principal

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

Sobre o Departamento

O Departamento de Informática e Matemática Aplicada do Centro de Ciências Exatas e da Terra da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN - foi fundado em 1985 e hoje atua no ensino, pesquisa e extensão nas áreas de informática (ou computação) e matemática aplicada.
No ensino, o DIMAp oferece suporte a cursos de graduação e pós-graduação. Na graduação, ele é o principal responsável pelo curso de Ciência da Computação BCC e pelo novo curso de Engenharia de Software BES
O departamento também tem uma forte colaboração com a Engenharia de Computação EC, além de disciplinas básicas para diversos  outros cursos de graduação da UFRN.
Na pós-graduação, o DIMAp abriga o programa de Pós-Graduação em Sistemas e Computação PPGSC, com os cursos de Mestrado e Doutorado.

Atualmente o DIMAp é chefia do pelo Prof. Nélio Alessandro Azevedo Cacho e pelo (Vice-chefe) Adilson Barboza Lopes


História do Departamento


O Departamento de Informática e Matemática Aplicada (DIMAp) foi criado pela resolução Nº 100 do Conselho Universitário (CONSUNI), de 7 de novembro de 1985, por desmembramento do Departamento de Matemática Pura e Aplicada. O processo de criação foi iniciado através de um projeto elaborado por uma Comissão presidida pela professora Estela Maria Araújo de Carvalho.
O grupo que compôs o quadro docente no seu início, os fundadores, era formado pelos seguintes professores: Adrião Bernardino de Sena, Álax Jorge Morais, Antonio Eduardo Bulhões, Carlos Augusto Cavalcanti de Lima, Dário José Aloise, Estela Maria Araújo de Carvalho, Gilvan Trigueiro, Ióris Ramalho Cortez, João Soriano da Cruz, João Wildes do Nascimento, Joaquim Elias de Freitas, Lourival Coelho da Silva Filho, Luiz Amorim Carlos, Luiz Gonzaga Damasceno, Márcio Muniz da Silva, Maria Sônia Nogueira, Nilda Maria Teixeira de Cerqueira e Orlando de Castro Moreira.
Destes apenas cinco(Dário José Aloise, João Soriano de Cruz, Lourival Coelho da Silva Filho, Luiz Amorim Carlos e Orlando de Castro Moreira) continuam em atividade.
O primeiro funcionário do DIMAp foi Rui de Araújo Freire.

Chefia do Prof: Ióris Ramalho Cortez (1985 - 1987)

O primeiro chefe do DIMAp foi o Prof. Ióris Ramalho Cortez. A atividade principal do departamento em seu início era o ensino das disciplinas de Programação e Cálculo Numérico para vários cursos de Engenharia e os cursos do então Centro de Ciências Exatas ( Matemática, Física, Química, Estatística e Geologia).
Mantinha também o Curso de Especialização em Engenharia de Sistemas que havia sido criado ainda no âmbito do Departamento de Matemática Pura e Aplicada. Nessa época a programação era feita em um computador de grande porte (mainframe) e ainda se utilizavam cartões perfurados para leitura de dados.
A sala onde atualmente funciona o laboratório de microcomputadores do CCET era ocupada por várias perfuradoras de cartões e depois também foi durante muito tempo a Secretaria do DIMAp.
A seguir o DIMAp começou a oferecer cursos de extensão para a comunidade na área de programação. Era o início tímido do uso de microcomputadores, se é que pode chamar assim às máquinas daquela época. Usavam-se inicialmente os TK82 que tinham a espantosa memória de 2KB! Foi um grande avanço quando surgiu um cartão que expandiu a memória para 16KB. O monitor era uma TV e os programas eram gravados numa fita cassete de áudio. A linguagem mais utilizada era BASIC. A evolução foi acontecendo: TK85, TK90 Corisco ( micro de 8 bits). Nessa época tinha sido criado o Laboratório Central de Micros (LCM) no mesmo lugar onde funciona atualmente.
Ainda no mandato do prof. Ióris foi criado o Curso de Ciências da Computação, através da Resolução Nº 062 do CONSUNI, de 17 de julho de 1986.

Chefia do Prof: Márcio Muniz (1987 -1991)

O primeiro eleito do DIMAp foi o professor Prof. Márcio Muniz, tendo exercido o cargo por dois mandatos consecutivos, não tendo concluído o segundo mandato porque se aposentou. A vice-chefe foi a professora Estela.
Com o Curso de Ciências da Computação recém criado aumentou a necessidade de professores e de maior qualificação do corpo docente. As dificuldades eram enormes. As aquisições de professores, por contratação ou transferência de outros departamentos, eram insuficientes. Para que alguns professores pudessem se qualificar outros tiveram que assumir carga horária de aulas elevada e disciplinas para as quais não tinham sido adequadamente preparados.
Durante a chefia do Prof. Márcio foram transferidos para o DIMAp os professores José Francisco Gomes da Silva e Pedro Fernandes Maia. Também foram contratados os professores Adilson Barboza Lopes e Jackson William Marques de Carvalho.
A primeira turma do curso de Ciências da Computação, que se auto intitulou “Os Cobaias”, concluiu em 1990. O coordenador do curso na época era o Prof. Pedro Fernandes Maia.
No segundo mandato do Prof. Márcio foi criada a Comissão, designada pelos diretores do CCE e CT, com a finalidade de estudar novas alternativas para o ensino de computação. A comissão era composta pelo Chefe do DIMAp, Prof. Márcio, o Coordenador do Curso de Ciências da Computação, Prof. Pedro Fernandes Maia e dois professores do departamento de Engenharia Elétrica com da área de Engenharia de Computação do Mestrado de Engenharia Elétrica. Com o apoio do Prof. Márcio, os professores da Engenharia Elétrica propuseram a criação de um Curso de Engenharia de Computação, vinculado ao Centro de Tecnologia e a extinção do Curso de Ciências da Computação. A proposta também previa a criação de um departamento de computação no Centro de Tecnologia, que absorveria os professores do DIMAp mais qualificados. O que restasse do DIMAp atuaria apenas no ensino de disciplinas básicas. Essa proposta era uma ameaça à existência do Curso de Ciências da Computação e do próprio DIMAp. Diante dessa situação o Prof. Pedro Maia, com o apoio da maioria do DIMAp, retirou-se da comissão. Começou então um movimento pela manutenção do Curso de Ciências da Computação e revitalização do DIMAp através da contratação de professores e aporte prometidos quando da criação do Curso de Ciências da Computação.


Chefia do Prof. Pedro Fernandes Maia (1991 - 1997)



Em maio de 1991 assumiu a Chefia o Prof. Pedro Fernandes Maia. Tendo como Vice-chefe o Prof. Antonio Eduardo Bulhões, o Prof. Pedro Maia exerceu três mandatos consecutivos até junho de 1997.
Esse período de chefia foi muito decisivo para o DIMAp. Havia muitos desafios a serem vencidos. A quantidade e a qualificação dos professores continuavam muito abaixo do desejável. A infraestrutura  física era precária e o departamento não tinha visibilidade nem sequer no âmbito regional. A pesquisa era muito incipiente. O departamento não contava com doutores em seu quadro docente.
Com a finalidade de melhorar o quadro de dificuldades foi intensificada a luta por vagas docentes junto à Reitoria e ao mesmo tempo um esforço para preencher essas vagas com pessoas mais qualificadas. A estratégia utilizada foi a maior divulgação do departamento, através da Internet que começava a se difundir no meio acadêmico e a participação ativa do chefe do departamento e do coordenador do Curso de Ciências da Computação do Congresso da Sociedade Brasileira Computação. Gradativamente o DIMAp foi se tornando conhecido no âmbito nacional, na época um departamento pré-emergente, e possibilitou a captação de pessoas qualificadas ou em processo de qualificação para prestar concurso no departamento.
 Outro fator que contribuiu para tornar o DIMAp conhecido e atrair pessoas foi a realização de eventos. Em 1994 foi realizado I EIMA - Encontro de Informática e Matemática Aplicada, coordenado pelo Prof. Dário. O EIMA 95, coordenado pelo Prof. Pedro Maia, já se firmou como um evento de médio porte e contou com uma programação variada e trouxe professores de diversas instituições do país.
 Nesse período da chegia foram contratados para o quadro permanente, como visitantes ou integrados ao DIMAp através de programas de bolsas de Recém Doutor ou Desenvolvimento Científico Regional os seguintes professores: Guido Lemos de Souza Filho, Gledson Elias da Silveira, Benedito Melo Acioly, Anamaria Martins Moreira, Benjamin René Callejas Bedregal, David Boris Paul Deharbe, Elizabeth Ferreira Gouveia, Ivan Saraiva Silva, Galileu Batista de Souza, Jair Cavalcanti Leite, Jorge Henrique Cabral Fernandes, Márcia de Paiva Bastos Gottgtroy, Marco César Goldbarg, Thaís Vasconcelos Batista, Virgínia Carvalho Carneiro de Paula, Anne Magály de Paula Canuto e Bruno Motta de Carvalho.
Alguns desses professores já tinham titulação de Doutor, mas a maioria estava em processo de qualificação quando foram contratados. Isso gerou um conflito entre a necessidade de mais professores e a importância da qualificação.
Havia uma regra da UFRN que previa que o professor contratado só podia se afastar para qualificação após dois anos de exercício o que dificultava a continuidade do programa para quem era contratado quando cursava pós-graduação. Tomando o caso do Prof. Guido como modelo o DIMAp conseguiu que o CONSEPE mudasse as regras. Assim quem fosse contratado e estivesse fazendo pós-graduação poderia continuar após contratação sem ter que interrompê-la. Essa mudança facilitou a contratação de pessoas que estava cursando doutoramento e ajudou muito no aumento da qualificação do quadro docente do DIMAp.
O primeiro professor do DIMAp com título de Doutor foi o Prof. Dário que concluiu em 1992. O segundo foi o Prof. Goldbarg contratado em 1994.
Contando apenas com dois doutores, mas com vários contratados em processo de conclusão do doutorado, o DIMAp criou o Mestrado em Sistemas e Computação em 1995. O reconhecimento pela CAPES só veio a ocorrer em 1998. A criação do mestrado foi muito importante para reforçar as atividades de pesquisa que estavam em crescimento no DIMAp.
Foi nessa fase que o DIMAp intensificou parcerias com outras instituições do país e até do exterior. Através do PROTEM-CC (Projeto Temático Multi-institucional em Ciência da COmputação) do CNPq o DIMAp participou de projetos conjuntos como por exemplo o Hipermídia ( em parceria com a PUC-RJ e várias universidades do Brasil e uma do Chile), além de concorrer  ( e ganhar) em dois editais de laboratórios.
O DIMAp também foi contemplado com bolsas de Recém Doutor e Desenvolvimento Científico Regional Regional. Quando foi lançado Kit Recém Doutor do CNPq, das 50 bolsas disponivéis para o país o DIMAp conquistou 4.
Nesse período da chefia o Curso de Ciências da Computação foi classificado pela Revista INFO em 25º lugar entre os 100 melhores cursos de Computação do Brasil, ficando em terceiro entre os cursos do nordeste.
Ainda nesse período da chefia continuou a discussão em torno da questão da criação do Curso de Engenharia de Computação que acabou sendo criado na modalidade de curso intercentros ( CCET e CT) como definido pelo DIMAp.
A luta pela aquisição de equipamentos e melhoria da infra-estrutura física do DIMAp, com destaque para a construção de um prédio próprio, foi uma constante nesse período da chefia. Contudo, os resultados nem sempre foram satisfatórios. A quantidade e a configuração dos equipamentos nunca atingiu um nível desejável e o prédio só veio a ser construído no período da chefia seguinte.

Chefia do Prof. Antonio Eduardo Bulhões ( 1997 - 2000 )

O Prof. Bulhões foi eleito por dois mandatos para a Chefia do DIMAp, tendo como vice-chefe o Prof. Guido Lemos de Souza Filho. O primeiro mandato começou em julho de 1997. Durante o segundo mandato, que iniciou em julho de 1999, houve a renúncia do Prof. Guido, tendo sido eleito o Prof. Ióris para completar o mandato de vice-chefe.
Durante a chefia do Prof. Bulhões o DIMAp continuou sua política de investir em capacitação e melhoria da infra-estrutura. Marco importante foi a inauguração do prédio do próprio DIMAp ocorrida em maio de 1999.
Uma característica importante da chefia do Prof. Bulhões foi sua capacidade de conciliação diante de algumas situações de conflito. Graças a esse espírito, conseguiu manter um ambiente de trabalho produtivo no departamento.
A Profa. Márcia Jacyntha foi contratada nesse período.
Antes de comlpetar a metade do segundo mandato o Prof. Bulhões teve que se afastar por razões de saúde. A partir de abril de 2000 teve sucessivos afastamentos em razão do agravamento da doença que levou ao seu falecimento. Foi um grande perda para o DIMAp e para a UFRN.
O mandato do Prof. Bulhões foi concluído pelo Prof. Ióris que ficou na chefia até julho de 2001. Nesse período ocorreu o aniversário dos 15 anos do DIMAp.

Segunda Chefia do Prof. Ióris (2001 - 2003)

Após concluir o mandato do Prof. Bulhões, o Prof. Ióris foi novamente eleito para chefe do DIMAp, tendo como vice-chefe o Prof.Carlos Augusto Cavalcanti de Lima. Um mês antes de terminar o mandato o Prof. Ióris se aposentou, tendo o mandato concluído pelo vice-chefe Prof. Carlinhos.
Foram contratados nesse período os professores Regivan Hugo Nunes Santiago, Anne Magály de Paula Canuto e André Maurício Cunha Campos.

Chefia da Profa. Anamaria Martins Moreira (2003 - 2005)
Anamaria Moreira
A Profa. Anamaria assumiu a chefia por dois anos a partir de julho de 2003 tendo como vice-chefe o Prof. André Maurício.
Foram contratados nesse período os professores Marcílio C. P. de Souto, Bruno Motta de Carvalho, Umberto Souza da Costa e Martin A. Musicante.
Durante este período foi elaborado o projeto de abertura do curso de Doutorado, no âmbito do programa de pós-graduação já existente no DIMAp. Este projeto deverá ser encaminhado à CAPES depois do PPGSC obter conceito maior ou igual a 4 na avaliação promovida por essa instituição.
As obras de ampliação do prédio do DIMAp também foram iniciadas durante a chefia da Profa. Anamaria. Essa ampliação é uma reinvidicação antiga do DIMAp.

Chefia do Prof. Ivan Saraiva Silva (2005 - 2007)

Mandato iniciado em setembro de 2005, tendo como vice-chefe o Prof. Lourival da Silva Filho.
Nesse período foi realizado um novo concurso público para professores, no qual foram aprovados três candidatos, os quais foram contratados em março de 2006.

 

Chefia do Prof. Bruno Motta (2007 - 2009)

Bruno Carvalho

Chefia do Prof. Marcos Pinheiro ( 2009 - 2012 )

Marcos Pinheiro

Share